Gravação de fala (I) – adendo

jul 17, 2012 | por Sandra Merlo | Tecnologia de fala

espuma acústica-2Este é um complemento do texto anterior, a fim de diferenciar explicitamente dois conceitos da acústica arquitetônica: isolamento e tratamento acústicos.

Isolamento acústico” é quando se deseja isolar o ambiente de gravação de outros ambientes. O objetivo é que os sons de outros ambientes (da sala ao lado, da rua) não entrem no ambiente de gravação ou, ao contrário, que os sons do ambiente de gravação não vazem para outros ambientes.

Tratamento acústico” é quando se deseja diminuir a reflexão sonora dentro do ambiente de gravação, melhorando o tempo de reverberação.

São conceitos diferentes. Fazer uma coisa ou outra depende do que você precisa. Seguem exemplos:

  • Parede com dupla estrutura de concreto e material absorvente: isolamento acústico.
  • Colocar revestimento absorvente sobre a parede já construída: tratamento acústico.
  • Forro acústico: tratamento.
  • Piso acústico: isolamento.
  • Pisos mais absorventes: tratamento acústico.
  • Portas e janelas: isolamento acústico.
  • Mobília (cortinas, tapetes, cadeiras estofadas, painéis de cortiça): tratamento acústico.

O texto “Gravação de fala (I)” dá mais ênfase ao tratamento do que ao isolamento acústico. Por quê? Dois motivos: não estou pressupondo que a sala está localizada em um entorno muito barulhento (em uma avenida de tráfego pesado ou próxima a um aeroporto, por exemplo) e nem que os sons que partem da sala são de grande intensidade (como ocorre no caso de quem toca instrumentos musicais, por exemplo). Por outro lado, estou pressupondo que a sala precisa de tratamento acústico para diminuir a reflexão sonora, que é a situação mais frequente.

O engenheiro Maurício de Cunto sugeriu o vídeo abaixo, que aborda a acústica de home studios. Algumas coisas mudam de home studio para consultório, mas muito se aplica.

 

 

 

Nenhum comentário »

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment