A família linguística do português (I)

nov 05, 2012 | por Sandra Merlo | Linguística histórica

portugal-2Quais são as línguas vivas mais próximas ao português? Acho que muitos pensariam que é o espanhol, mas não é. As línguas mais próximas ao português são o galego moderno e a fala de Xálima. Essas três línguas (português, galego moderno e fala de Xálima) têm uma língua ancestral comum, que é o galego antigo.

Mas e o espanhol? O espanhol europeu, o espanhol de Loreto-Ucayali (no Peru), o espanhol judeu (ou ladino) e o estremenho também têm uma língua ancestral comum, o castelhano.

Portanto, português e espanhol não descendem diretamente da mesma língua. Entretanto, as semelhanças entre o português e o espanhol não são à toa, porque tanto o galego antigo, quanto o castelhano fazem parte da família das línguas ibéricas.

A seguir, um pouco sobre a família linguística do português: o galego moderno e a fala de Xálima, bem como o galego antigo. Neste post, vamos falar especificamente sobre o galego moderno.

 

Galego moderno

No final do século XI, a Península Ibérica era composta por oito reinos diferentes: cinco eram cristãos (Galícia, Leão, Castela, Navarra e Aragão) e três eram muçulmanos (Badajoz, Toledo e Zaragoza, os quais formavam o território da Andaluzia ou Al-Andalus). Onde hoje é Portugal, no século XI, era parte da Galícia e de Badajoz. Por exemplo, as cidades do Porto e de Coimbra pertenciam à Galícia e a cidade de Lisboa pertencia a Badajoz. Na Galícia, falava-se o galego antigo. Na Andaluzia, falava-se árabe.

Com a independência de Portugal no século XII (no ano de 1139), o galego antigo seguiu um rumo diferente no novo país. A expansão do povoamento ocorreu mais para o sul de Portugal, com a intenção de expulsar os árabes, o que provocou maior distanciamento geográfico do galego antigo falado em Portugal daquele falado no Reino da Galícia. Pouco a pouco, a língua foi se diferenciando, até o “nascimento” do português, no século XV.

O Reino da Galícia existiu do século V ao XIX. Em 1833, o território foi incorporado à Espanha como “Região Autônoma da Galícia”.

Atualmente, o galego é falado por aproximadamente 3 milhões de pessoas na Região Autônoma da Galícia e na província Trás-os-Montes em Portugal.
– A Galícia está situada no noroeste da Espanha e tem Santiago de Compostela como sua capital.
– A província de Trás-os-Montes está situada no nordeste de Portugal. Ao norte, situa-se a Galícia.

A partir do século XV, o galego foi uma língua apenas oral. Mas, a partir do século XIX, houve renascimento da literatura em galego, conservando sua modalidade escrita. Atualmente, diversos esforços procuram conservar a língua:

  • Institui-se o galego como língua co-oficial na Galícia, além do espanhol.
  • Foi criado o Instituto da Língua Galega, que é um centro de investigação linguística pertencente à Universidade de Santiago de Compostela.
  • Foi criado um jornal escrito, uma rádio e uma televisão, os quais utilizam apenas galego.

O português e o galego modernos são línguas muito próximas. Tanto que a inteligibilidade do galego para falantes nativos do português é de 85%.

Para demonstrar o alto grau de inteligibilidade do galego e do português modernos, um galego (falando em galego) e um brasileiro (falando o dialeto nordestino) conversam sobre suas línguas no vídeo a seguir.

 

Segue abaixo uma reportagem do programa ‘Cuidado com a língua’ da Rádio e Televisão de Portugal (RTP) sobre as diferenças entre português europeu e galego.

  • Uma das diferenças fonéticas diz respeito ao fone [v], inexistente em galego. Assim, em galego, “vaca” se diz “baca” (embora se escreva “vaca”).
  • Outra diferença diz respeito ao fone [ʃ], que é uma africada em galego. Assim, em galego, “chamar” se diz “tchamar”.
  • Outra diferença fonética diz respeito ao desvozeamento de [ʒ] em galego, que se transforma em [ʃ]. Além disso, há menos nasalização em galego. Então, “imagem” se diz “imaxe”.
  • A expressão “trabalhar que nem um galego” (querendo dizer “trabalhar muito”) foi criada devido à imigração dos galegos para Portugal no século XVIII, os quais trabalhavam muito e em serviços braçais.

 

Algumas outras comparações entre português e galego:

  • As vogais orais tônicas são as mesmas: [a,e, ɛ, i, o, ɔ, u].
  • Há grande sobreposição no quadro de consoantes. Mas:
    — O galego é menos vozeado do que o português. Não há, em galego, os fones [z, ʒ], os quais são realizados como suas correspondentes desvozeadas, ou seja, [s, ʃ].
    — A africada [ʧ] substituiu todas as realizações de [ʃ] em galego. Em português brasileiro, a africada aparece apenas seguido de [i].
  • A nasalização é menor em galego. Assim, as vogais nasais do português são realizados como:
    — vogal oral + consoante nasal. Exemplo relativo a “campo”: [ʹkampω] em galego.
    — apenas vogal oral. Exemplo relativo à “irmã”: [iɾʹma] em galego.

Para uma comparação mais aprofundada entre galego e português (fonética, morfologia, sintaxe, léxico e ortografia), sugiro o artigo “Galego e português modernos: um estudo comparativo”, de Alfredo Maceira Rodríguez.

É claro que também há influência do espanhol no galego. Por exemplo, nos dias da semana:

Espanhol

Galego

Português

Lunes Luns Segunda
Martes Martes Terça
Miércoles Mércores Quarta
Jueves Xoves Quinta
Viernes Venres Sexta
Sábado Sábado Sábado
Domingo Domingo Domingo

 

A influência do espanhol também ocorre na prosódia: o ritmo da fala em galego é mais parecido com o espanhol do que com o português.

O futuro do galego é incerto. A Galícia, fazendo parte da Espanha, é fortemente bilíngue (galego/espanhol). Por um lado, há apenas 3 milhões de falantes e a influência do espanhol é importante. Por outro, estão sendo feito esforços significativos pelos habitantes da Galícia para preservar sua língua.

 

 

* Gostaria de agradecer à colega linguista Cristiane Conceição Silva pela discussão sobre as diferenças entre galego e espanhol.

* Gostaria de agradecer ao professor Antonio Carlos Santana de Souza pela discussão sobre a relação entre galego e português.

 

  • Luiz Otávio Naufel

    Olá. Eu tenho algumas dúvidas sobre esse assunto. Em que século a Língua Portuguesa e Espanhola estiveram juntas num idioma ancestral pola última vez? Qual era o nome dessa língua? Hei-o pesquisado, mas pouco sobre isso está disponibilizado na Internet de modo fácil de se encontrar. Só consigo a informação que ambas são Línguas Ibero-Ocidentais. Se possível, poderia indicar-me ou compartilhar-me algum texto, mensagem etc na linguagem da época? Isso me ajudaria muito.

    • Sandra Merlo

      Olá, Luiz,

      Infelizmente não posso ajudá-lo.

      Sugiro que você busque artigos sobre Linguística Histórica. Há bases de dados específicas para isso, como a da MLA (Modern Language Association) e o LLBA (Linguistics and Language Behavior Abstracts).

      Talvez o Ethnologue (http://www.ethnologue.com/) também possa ajudá-lo.

      Att, Sandra