A família linguística do português (II)

nov 12, 2012 | por Sandra Merlo | Linguística histórica

espanha-2Dando continuidade à discussão sobre as línguas vivas mais similares ao português, agora abordo a fala de Xálima.

 

Fala de Xálima

A fala de Xálima é utilizada em três cidades que ficam na província de Cáceres na Região Autônoma de Estremadura na Espanha: São Martinho de Trebelho, Valverde do Fresno e Eljas. É utilizada por apenas 10.000 falantes.

A fala de Xálima é mais inteligível para falantes do galego do que para falantes do português.

Uma hipótese sobre a origem da língua é que os habitantes das três cidades do vale de Xálima viveram relativamente isolados desde o século XVI, o que fez o galego antigo não se transformar em português, mas evoluir em outra direção e se transformar na fala de Xálima. O motivo do isolamento deve-se às características geográficas do vale do Xálima: está rodeado por montanhas de 1200 a 1500 metros de altura. O vale em si está situado a 500 metros de altitude, de onde se origina o rio Eljas.

Vejamos algumas semelhanças e diferenças da fala de Xálima com o português:

  • As vogais orais tônicas são as mesmas: [a,e, ɛ, i, o, ɔ, u].
  • A nasalização vocálica praticamente não existe na fala de Xálima. Assim, por exemplo, o ditongo nasalizado “ão” do português é realizado como “vogal oralizada + consoante nasalizada”: por exemplo, “verão” corresponde a “verám”.
  • O ditongo terminado com a semivogal [ω] é realizado com a semivogal [y]. Então, “eu” corresponde a “ei” e “sou” corresponde a “soi” na fala de Xálima.
  • Há grande sobreposição no quadro de consoantes.
  • Não há a consoante [k] na fala de Xálima, uma das mais frequentes em português.
  • Não há [s, z] em coda silábica. Assim, “dez” corresponde a “dé”, “luz” corresponde a “lu” na fala de Xálima.
  • Enquanto o português apresenta clara tendência ao rotacismo, a fala de Xálima tende ao lambdacismo. Assim, “chamar” corresponde a “chamal”, “vir” corresponde a “vil”. Veja, por exemplo, o título de livro de Domingo Frades Gaspar: “Vamus a falal – Notas pâ coñocel y platical en nosa FALA” (Editora Regional da Extremadura, 2000).
  • O uso do diminutivo também é frequente na fala de Xálima, semelhante ao que ocorre no português, mas não no espanhol.

Seguem algumas correspondências de palavras de classe fechada em português e em fala de Xálima. Fica explícito as muitas semelhanças e algumas diferenças entre as duas línguas.

 

Português

Fala de Xálima

Artigos definidos

o, a, os, as

o, a, os, as

Artigos indefinidos

um, uma, uns, umas

um, ũa, uns/ũos, ũas

Pronones pessoais (formais)

eu, tu, ele, ela, nós, vós, eles, elas

ei, tu, el, ela, nós, vós, elis, elas

Advérbios

aqui, aí, acima, amanhã, depois, sempre, muito, quase, sim, não

aquí, aí, arriba, manham, dispois, sempris, mui/mutu, quasi, si, nom/num

 

Segue uma reportagem feita por uma televisão espanhola sobre a fala de Xálima. Veja que é necessário inserir legendas para o público espanhol quando os habitantes do vale de Xálima falam na língua local.

 

Maiores informações sobre a fala de Xálima: neste artigo em galego e neste em espanhol. E aqui um blog escrito em fala de Xálima (dialeto de Valverde do Fresno).

A tendência é que a fala de Xálima seja extinta. Tanto em razão da falta de falantes, quanto devido à influência do espanhol.

 

Nenhum Comentário »

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment