Gagueira e sono (I)

Maio 02, 2012 | por Sandra Merlo | Gagueira, Sono

Na prática clínica, é comum encontrar relatos de que problemas de sono pioram a gagueira.

Estou dando início a uma série de posts para discutir sobre uma possível relação entre gagueira e sono.

Meu interesse sobre o assunto veio de minha própria experiência. Há mais de dez anos, percebi que minha gagueira se intensificava após sucessivas noites mal dormidas.

Pesquisando no PubMed, encontrei apenas cinco artigos sobre sono e gagueira (todos da década de 1950 e escritos em tcheco ou polonês). Ou seja, é uma associação que ainda não foi devidamente estudada.

Quando coloco a questão para meus pacientes adultos ou para pais de crianças, geralmente recebo a resposta de que nunca observaram se há uma relação entre gagueira e sono. Entretanto, após algumas semanas de observação, geralmente relatam que há uma piora da gagueira após noites com tempo reduzido de sono ou noites com má qualidade de sono (por exemplo, quando ocorre diversos despertares durante a noite).

Na prática clínica, já observei o seguinte:

  • Casos de gagueira infantil em que houve remissão completa da gagueira após algumas medidas simples de higiene do sono. Entretanto, como não eram casos de gagueira crônica, não é possível saber se a higiene do sono realmente contribuiu para a melhora da gagueira ou se houve recuperação espontânea.
  • Casos de gagueira crônica (de crianças, adolescentes e adultos) que apresentaram melhora significativa após medidas de higiene do sono, tais como: aumento do número de horas de sono, ajuste da fase de sono, regularização dos horários de sono e/ou melhora da respiração durante o sono.

Ou seja, os dados clínicos sugerem uma correlação significativa entre fluência e sono. Nos textos subsequentes desta série, irei discutir um pouco sobre a fisiologia do sono e sobre fatores que podem estar subjacentes à relação entre gagueira e sono.